CONSELHOS

Algumas soluções e explicações para as dificuldades em dormir de 1 aos 3 anos.

Nas crianças de 1 ano de idade aos 3 anos é comum haver alguns problemas para dormir, nomeadamente dificuldade em adormecer, despertares a meio da noite, pânicos durante a noite...

O, frequentemente agitado, sono do bebé


Não é todas as noites que o bebé cai de sono e dorme profundamente ou volta a adormecer facilmente numa noite agitada... Segundo os especialistas, o sono é uma aprendizagem e é normal no primeiro ano do bebé haver vários despertares noturnos. Estes problemas de sono do bebé são naturais, porque não estão fisiologicamente preparados para esta rotina do sono.

É importante que saiba que nos primeiros meses a seguir ao seu nascimento, o bebé tem sonos agitados, chora e tudo isto é perfeitamente normal.

Nas primeiras semanas, os ciclos de sono-vigília variam com intervalos de cerca de 4 horas que progridem lentamente para um ritmo de 24 horas com os períodos de despertar mais longos durante o dia e períodos de sono mais longos de noite.

Rituais do dia a dia para atingir o ritmo de sono


Para facilitar a evolução dos ciclos sono-vigília em direção ao ritmo noite-dia, é muito importante orientar o bebé com algumas medidas a que chamamos Medidas para a Higine do sono:

  • a alternância dia/noite (as sestas durante o dia devem ser feitas com a luz do dia ou com uma cortina translúcida. No caso do bebé acordar durante a noite, deve falar-lhe baixinho para o levar a adormecer novamente)
  • a rotina dos momentos de brincadeira, de passeio, das refeições, da sesta, de dormir, de levantar…

Para não perturbar o sono do bebé, deve ter em conta as suas necessidades e proporcionar-lhe um ritmo que seja mais regular possível. Ritmo este que, em geral, é bem diferente ao dos adultos…

As diferentes perturbações do sono do bebé


Problemas para adormecer

Na hora do Vitinho, o sono do bebé nem sempre aparece de imediato e muitas vezes a dificuldade de adormecer prolonga-se por mais tempo do que se desejava. Quando o bebé está sozinho no quarto, a fase de adormecer é delicada e deverá haver vários métodos a realizar antes de deixar o bebé a dormir sozinho. Tranquilizar o bebé e evitar a criação de ansiedade são pontos essenciais para um bom sono do bebé.

Para que este momento se desenvolva da melhor forma, é necessário prepará-lo pondo em prática pequenos rituais ideais para proporcionar serenidade na hora de adormecer: embalar, uma melodia suave, contar uma história, uma brincadeira calma, acessórios (boneco doudou, peluche, luz de presença...), etc. De realçar que se o seu bebé adormecer na mama, no biberão ou simplesmente junto dos pais, ele vai precisar de encontrar as mesmas condições a meio da noite quando tiver os seus despertares durante o sono.

Insónias ansiosas

De noite, o seu bebé pode enfrentar períodos de insónias que estão ligadas a angustias típicas de cada idade ou aos medos. Os pesadelos recorrentes provocados pelo lobo mau, o papão ou o medo do escuro, muitas das vezes são os principais responsáveis pelo acordar do seu bebé.

As angústias por vezes podem estar ligadas com o ambiente onde o bebé está inserido ou com a agitação do seu dia a dia (o infantário, o ambiente familiar...) ou ainda com o seu desenvolvimento (começar a andar, deixar a fralda…). É, então importante que identifique todas estas angústias. O facto de estar muitas vezes sozinho no quarto também pode ser fator de ansiedade.

O transtorno da qualidade do sono (despertar confusional)

É semelhante a um pesadelo noturno, mas o início é mais progressivo: a criança geme, chora e pode agitar-se. Pode até parecer uma birra, mas na verdade a criança está não está consciente do que está a acontecer e pode recusar a intervenção do adulto. A crise para ao fim de alguns minutos.

O pânico noturno (terrores noturnos)

Às vezes, o bebé acorda sobressaltado na primeira parte da noite (antes da meia-noite), ele tem um ar atordoado (confuso), grita, está aterrorizado e não é possível conseguir estabelecer contacto com ele.

Este acontecimento pode ser assustador para os pais, pois podem ficar sem saber o que fazer, mas é um fenómeno fisiológico e sem qualquer gravidade, que ocorre normalmente entre os 3 e os 10 anos. A crise do terror noturno termina espontaneamente ao fim de alguns minutos, por isso o aconselhável é aguardar e não fazer nada. No dia a seguir, a criança não irá lembrar-se do ocorrido. Por norma, estes distúrbios acontecem com mais facilidade quando o bebé vive ritmos de vida irregulares e agitados.

Os pesadelos

Os sonhos maus (pesadelos) manifestam-se na segunda parte da noite e acordam o bebé. Quando isto acontece, ele fica totalmente consciente, assustado e vai procurar conforto. Quando este momento acontecer, tente acalmá-lo, lembrando que está ali presente e aguarde até que o seu filho volte a adormecer.

Consulte o médico de família ou o pediatra se o seu bebé tiver algum destes distúrbios do sono que seja persistente. Poderá ser uma ajuda essencial para os pais terem em mente de novo como funcionam os ciclos do sono da criança e as suas necessidades como o tempo necessário para dormir, hora de ir para a cama, etc. Com este acompanhamento, poderá ajudar na evolução rápida e positiva no sono do seu bebé sem problemas.

Não se esqueça que estas dificuldades em dormir também podem estar relacionadas com as etapas de desenvolvimento da criança (problemas de crescimento, mudanças de ritmo ligadas à creche e depois ao infantário…).

É preciso entender algumas das razões que podem levar aos problemas de sono do seu bebé. No entanto, quaisquer que sejam os problemas em dormir que o seu filho tenha, os tratamentos com medicamentos não são a solução para estes problemas.

Há ainda outras regras para uma melhor higiene do sono que são importantes: manter o quarto com uma temperatura de 18 a 20 °C, não tapar demasiado o bebé e ter o quarto bem arejado, sobretudo se o aquecimento da divisão é elétrico ou de chão.