CONSELHOS

O que acontece na ecografia do primeiro trimestre?

Para que serve?

A primeira ecografia, que é feita por volta dos 2 meses e meio de gravidez, cria muita expectativa, o que não é de estranhar, pois trata-se do primeiro "encontro" com o bebé. Ela acontece até mesmo antes de começar a sentir o bebé mexer-se e de ver a barriga aumentar de tamanho. A ecografia do primeiro trimestre é um exame fundamental no acompanhamento da gravidez.

Qual é o objetivo da primeira ecografia?


Os ultrassons

A primeira ecografia obstétrica é feita com uma sonda coberta por um gel especial, que se coloca na barriga ou na vagina (neste caso a sonda é revestida por uma espécie de preservativo). Esta sonda é segura para si e para o seu bebé. Ela usa os ultrassons, provenientes da técnica do radar, e não os raios X. O que vai ver no ecrã são as várias tonalidades de cinzento, consoante a densidade do tecido encontrado: os líquidos são pretos, os ossos e a gordura são brancos, os outros órgãos são mais ou menos cinzentos.

Um exame médico

A ecografia do primeiro trimestre deverá ser feita pelo médico especialista e requer a máxima concentração e vigilância, por isso não estranhe o médico falar tão pouco durante este exame. Ele só fará os seus comentários e conclusões no relatório que lhe vai entregar. Poderá pedir que a ecografia seja gravada em vídeo ou DVD, mas será o médico a permitir ou não, de qualquer maneira, não se preocupe, os papás levam sempre com as fotos do bebé consigo!

O que se procura no primeiro exame?


O número de embriões

O que vai ver no ecrã é o bebé na íntegra, a mexer-se diante dos seus olhos. A sua energia permite-lhe avaliar se está a correr tudo bem com a gravidez. Está na hora de contar os embriões! Se forem gémeos, o estudo das membranas (saco amniótico) permite saber se eles estão apenas num saco (o que representa maior risco para os bebés) ou se estão em sacos diferentes.

Uma data para o parto

O próximo passo é verificar a idade gestacional através da medição do comprimento crânio-caudal (cabeça-nádegas). Deste modo, com uma precisão de quatro dias, consegue-se prever, em termos teóricos, a data do parto. A data só é alterada em cerca de uma semana de diferença em relação à idade previamente calculada pelo médico, dependendo da data do último período menstrual.