CONSELHOS

Como lidar com as primeiras separações do bebé?

Reagir bem em todas as situações

Nem sempre é fácil para o bebé separar-se dos pais sem chorar, principalmente nos primeiros dias com a ama ou na creche, na primeira noite sozinho com a ama ou no primeiro dia de escola... Dicas para gerir a situação com tranquilidade.

Lidar melhor com o stress distanciando-se


Ao receio do desconhecido, junta-se o medo de estar longe de si, e isto, infelizmente, quase nunca acontece sem lágrimas. "A criança não tem qualquer noção do passado, do presente ou do futuro. Fica tão triste por ver a mamã sair de uma sala durante alguns minutos, como quando ela se ausenta durante várias horas. Ela chora frequentemente porque percebe que já não está com ela, e tem medo de nunca mais a voltar a ver", diz o médico especialista da primeira infância. E se o bebé tem medo deste momento, os pais também o têm (vá lá, admita-o)! Quem nunca foi para casa com o coração apertado nos primeiros dias de escola? Mais uma vez, realçamos a importância de não demonstrar o stress que está a sentir e de tentar acalmar a criança o mais possível, porque "Ela deixa-se rapidamente dominar pela emoção que lhe transmite", adverte o Dr. Bernard Bedouret, pediatra e autor de “Les pleurs” (Edições Natahan).

Antecipar e organizar a primeira vez


Sim, o momento da separação acontecer tranquilamente! "Basta falar sobre isso várias vezes com o seu filho e apresentá-lo à pessoa que o vai acolher (ama, babysitter, professora...) com alguma antecipação, aconselha o Dr. Bedouret. Deixem-no sentir que têm total confiança nele para que fique completamente tranquilo". Para que ele se sinta mais à vontade no dia D, faça uma visita guiada ao local para onde vai o pequeno aventureiro! Para o entusiasmar, explique-lhe as razões da sua ausência e as novas pessoas que vai conhecer (amigos, primos...), ou as atividades e aventuras que estão à sua espera!

Acalme o seu filho no dia da separação


Respire fundo! Com já sabe, não é uma boa ideia mostrar que está nervosa! Além disso, "Pode propor ao seu filho que leve consigo o seu boneco-doudou ou qualquer outro objeto de transição (o seu brinquedo preferido, uma fralda)", sugere o pediatra. Este pequeno companheiro vai ajudá-lo a passar com sucesso esta fase do seu desenvolvimento, uma ligação essencial entre si e ele.

Antes de ir embora, não se esqueça de lhe dizer a que horas o vai buscar... Depois deixe-o em boa companhia! ”Aos poucos, ele vai tomando consciência de que se pode adaptar facilmente às mudanças de lugares e de pessoas", conclui o Dr. Bedouret (pediatra).