CONSELHOS

Os benefícios do contacto físico direto com o bebé

Este contacto "pele com pele" entre o bebé e a mamã é a altura certa para a transição suave entre a vida dentro e fora da barriga da mamã. Além disso, também estimula a amamentação, uma vez que durante este momento ternurento o bebé vai aproximar-se instintivamente do peito da mãe.

O contacto "pele com pele" na sala de partos


Assim que o bebé nascer e sob a vigilância do profissional de saúde, vão propor-lhe o momento "pele com pele". Vão colocar o bebé, apenas com um gorro e a fralda, sobre a sua barriga e peito, mantendo-lhe a cabeça de lado para que ele possa respirar à vontade... o resto acontecerá naturalmente.

O método Canguru para os prematuros


Em alguns hospitais tem sido proposto o método canguru às famílias para ajudar os pais a reforçar os laços afetivos com o seu bebé. Com este método, as mamãs podem ficar 24h por dia com o bebé, partilhando o mesmo quarto por forma a evitar a sua separação. VIndo de Bogotá, na Colômbia, nos finais dos anos 70, este método carateriza-se pela prática do contacto "pele com pele", conhecido também como o «método canguru» e que só é possível quando a saúde do bebé o permitir. Eles cuidam dos bebés que estão quase prontos para ir para casa, ou seja, os bebés ligeiramente prematuros que nasceram entre a 33ª e a 34ª semanas, com um peso mínimo de 1800 gramas.

Uma boa forma de incentivar o bom desenvolvimento do bebé até ao final da sua estadia é substituir a incubadora durante o dia e reforçar os laços físicos e emocionais entre pais e filhos, assim a mãe pode fazer a higiene e cuidar do bebé e a equipa que a acompanha volta a colocar o bebé no berço ou na incubadora durante a noite. Esta estadia dura em média 1 a 2 semanas.

Os benefícios verificados nas unidades neonatais


Os pais podem ficar 24h por dia com o recém-nascido doente nas unidades neonatais, onde é praticado o contacto pele com pele sob vigilância médica. O bebé na maioria das vezes pode sofrer de prematuridade, infeção, patologia respiratória ou precisar de ser operado, neste caso é necessário que o bebé esteja estável a nível cardiorespiratório. O contacto "pele com pele" dura cerca de meia hora no início, depois a equipa médica vai adaptando o tempo e a frequência de acordo com a tolerância do bebé e a disponibilidade dos pais. Este método não é simples, mas permite a circulação de um calor húmido e envolvente entre os corpos e melhora as funções metabólicas do recém-nascido, o que contribui para o seu bom desenvolvimento e para o bem-estar da família.

A longo prazo, o contacto "pele com pele" também ajuda a fortalecer o vínculo com o bebé, por isso, praticá-lo vai ser sempre uma boa opção, independentemente do contexto!